10º Amazonas Film Festival homenageia Roberto Farias

AFF3

Ainda que esteja apenas em sua décima edição, o Amazonas Film Festival é um dos maiores eventos cinematográficos do País. Não só pela proposta de intercâmbio audiovisual e valorização da produção local, mas também pela curadoria sensata e honesta das mostras competitivas. A noite de abertura, que aconteceu ontem (1º) no Teatro Amazonas, homenageou o cineasta Roberto Farias, de 81 anos, pela carreira madura e colaboração ao cinema nacional.

Autor de obras como “Pra Frente, Brasil” (1982) e “Assalto ao Trem Pagador” (1962), o diretor apontou a importância de valorizar os profissionais brasileiros de cinema. “Sinto que não é apenas para minha pessoa, mas ao cinema brasileiro e tudo que eu contribuí para ele”, disse.  Em edições passadas, o Amazonas Film Festival reconheceu trabalhos de diretores como Zelito Viana (“Morte e Vida Severina”) e Fernando Meirelles (“Cidade de Deus”).

Farias aproveitou para convidar o público para a exibição de “Pra Frente, Brasil” na manhã do dia 05 de novembro, também no Teatro Amazonas. Uma das obras políticas mais relevantes da filmografia nacional, o longa chegou a ser censurado por um ano pela ditadura militar.

A abertura do evento contou ainda com a exibição do longa italiano “Chegará o Dia” (2013 – foto), de Giorgio Diritti (“Il Vento Fa il suo Giro”). Rodado em 2011 no Rio Andirá, Parintins e Manaus, especificamente na antiga Comunidade Arthur Bernardes, o longa conta a história de Augusta, que chega ao Amazonas fugindo de problemas familiares e em busca de se encontrar no mundo. A convivência com as comunidades locais e a isolação na floresta transformam sua vida.

A despeito da fotografia de Roberto Cimatti, que se apaixona pelas possibilidades do cenário riquíssimo que só o Amazonas pode oferecer, e do magnetismo da atriz Jasmine Trinca, o longa traz o olhar estrangeiro um tanto quanto romântico demais, portanto inocente, misturando muitos temas e falando pouco. “Chegará o Dia” passou pelo Festival de Sundance 2013, em janeiro, e venceu o prêmio de melhor atriz do Italian National Syndicate of Film Journalists 2013. O longa estreou em março na Itália, mas ainda não há previsão de lançamento comercial no Brasil.

O Amazonas Film Festival continua até o dia 06 de novembro, com exibição de 170 exibições de filmes, divididos em 17 mostras, programação acadêmica e atividades diversas. As atrações do sábado (02) são os curtas “Contos da Maré”, de Douglas Soares (RJ), e “Pierre e a Mochila”, de Iuli Gerbase (RS), e os longas “Lunchbox” (India/França/EUA/Alemanha), de Ritesh Batra, e “Cabelo Ruim” (Venezuela), de Mariana Rondón.

Para o domingo (03) estão previstas as exibições dos curtas “Faroeste – Um Autêntico Western”, de Wesley Rodrigues (GO); “Strip Solidão”, de Flávia Abtidol (AM), e “Quinto Andar”, de Marco Nick (MG), além dos longas “Metro Manila” (Filipinas/Grã Bretanha), de Sean Ellis, e “O Futuro” (Chile/Itália/Alemanha/Espanha), de Alicia Scherson. O acesso é gratuito. Veja a programação completa no site oficial.

Matéria originalmente publicada no Cinema com Rapadura.

(Visited 24 times, 1 visits today)