Os melhores filmes de 2012

Holy Motors, de Leos Carax

É sempre delicado apontar os melhores filmes do ano, já que é humanamente impossível ver todos que estrearam, seja por falta de tempo ou pela distribuição precária em Fortaleza. Por isso, listas nem sempre são justas. Mas são válidas. Seguem abaixo as melhores produções que eu assisti em quatro categorias: filmes que estrearam no Brasil em 2012, menções honrosas, filmes vistos em festivais e curtas metragens. Destaque para o ótimo desempenho do cinema nacional que, longe dos grandes estúdios, fez muita coisa boa.

Melhores filmes de 2012:
1. Holy Motors
(2012, França/Alemanha), de Leos Carax (foto)
2. A Separação (2011, Irã), de Asghar Farhadi
3. Argo (2012, EUA), de Ben Affleck
4. Drive (2011, EUA), de Nicolas Wind Refn
5. O Artista (2011, França/Bélgica/EUA), de Michel Hazanavicius
6. A Invenção de Hugo Cabret (2011, EUA), de Martin Scorsese
7. Os Descendentes (2011, EUA), de Alexander Payne
8. Moonrise Kingdom (2012, EUA), de Wes Anderson
9. Intocáveis (2011, França), de Olivier Nakache e Eric Toledano
10. Era Uma Vez Eu, Verônica (2012, Brasil), de Marcelo Gomes

Menções honrosas:
Histórias que Só Existem Quando Lembradas, de Júlia Murat; Eu Receberia as Piores Notícias dos seus Lindos Lábios, de Beto Brant e Renato Ciasca; Os Vingadores, de Joss Whedon; 2 Coelhos, de Afonso Poyart; As Aventuras de Tintim: O Segredo de Licorne, de Steven Spielberg; A Fonte das Mulheres, de Radu Mihaileanu; J. Edgar, de Clint Eastwood; Precisamos Falar sobre Kevin, de Lynne Ramsay; Mãe e Filha, de Petrus Cariry; Flor da Neve e o Leque Secreto, de Wayne Wang; Paraísos Artificiais, de Marcos Prado; Ted, de Seth Macfarlane; As Vantagens de Ser Invisível, de Stephen Chbosky; Dredd, de Pete Travis; 007 – Operação Skyfall, de Sam Mendes; Febre do Rato, de Claudio Assis; Shame, de Steve McQueen; Looper: Assassinos do Futuro, de Rian Johnson; Pina, de Wim Wenders; e Para Roma, com Amor, de Woody Allen.

Sangue do meu Sangue, de João Canijo

Filmes ainda inéditos exibidos em festivais:
Tiranossauro, de Paddy Considine; Amor, de Michael Haneke; Colegas, de Marcelo Galvão; Sangue do Meu Sangue (foto), de João Canijo; Pietà, de Kim Ki-duk; 10 Horas Até o Paraíso, de Mads Matthiesen; Either Way, de Hafsteinn Gunnar Sigurðsson; Olhe Pra Mim de Novo, de Kiko Goifman e Claudia Priscila; Estradeiros, de Sérgio Oliveira e Renata Pinheiro; Um Amor, de Paula Hernandéz; As Hiper Mulheres, de Carlos Fausto, Leonardo Sette, Takumã Kuikuro; Cego Aderaldo: O Cantador e o Mito, de Rosemberg Cariry; Compliance, de Craig Zobel; Jorge Mautner – O Filho do Holocausto, de Pedro Bial e Heitor D’Alincourt; In Another Country, de Sang-soo Hong; e Barbara, de Christian Petzold.

Curtas nacionais exibidos em festivais:
Memórias Externas de uma Mulher Serrilhada, de Eduardo Kishimoto; Praça Walt Disney, de Renata Pinheiro e Sérgio Oliveira; L, de Thais Fujinaga; Jus, de Marcelo Dídimo; Todos os Balões Vão Para o Céu, de Frederico Cabral; OMA, de Michael Wahrmann; Realejo, de Marcus Vinicius Vasconcelos; Linear, de Amir Admoni; Através, de Amina Jorge; A Cidade, de Liliana Sulzbach; A Mão que Afaga, de Gabriela Amaral Almeida; Dia Estrelado, de Nara Normande; Hooji, de Marcello Quintella e Boynard; A Noite dos Palhaços Mudos, de Juliano Luccas; Quindins, de David Mussel e Giuliana Danza; 5 Horas Rumo Norte, de Paula Sabagga; e Piove, Il Film de Pio, de Thiago B. Mendonça.

Esclarecimentos:
– Até o fechamento da lista, não consegui ver O Hobbit nem As Aventuras de Pi.
– A ausências de Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge e O Espetacular Homem-Aranha foram pensadas.
– Pode ser que a lista seja atualizada nos próximos dias.

(Visited 15 times, 1 visits today)