Porto Iracema apresenta novos projetos de cinema em sessão aberta

Karim Ainouz

O Porto Iracema das Artes, em Fortaleza, apresentará no sábado (20) os cinco novos projetos de longa-metragem, em desenvolvimento no Laboratório de Cinema, em uma sessão para um grupo de produtoras independentes e profissionais convidados da área do audiovisual. O encontro faz parte da programação da II MOPI – Mostra de Artes do Porto Iracema, que acontece durante todo este mês de dezembro, com o objetivo de apresentar os projetos de conclusão do ano letivo de 2014. A sessão acontece a partir das 9h, no auditório da escola, com entrada gratuita.

A sessão de apresentação pública, que também inclui leitura dramática de cenas dos roteiros, será o primeiro encontro dos projetos com profissionais do audiovisual que farão o papel de críticos. “A ideia deste encontro é provocar a crítica, ao mesmo tempo colher sugestão de produtores e realizadores que já têm trajetória no campo audiovisual”, observa o cineasta Marcelo Gomes, que junto com Karim Ainouz (foto) e Sérgio Machado coordenam o Centro de Narrativas Audiovisuais do Porto Iracema das Artes.

Os projetos reúnem narrativas diversas, incluindo documentário, cinema de animação, além de uma história ficcional que ocorre no Brasil de 2022. São histórias de jovens realizadores cearenses, que se preparam para entrar no mercado audiovisual brasileiro, que vive hoje um momento de importante oportunidades de negócios.

OS NOVOS PROJETOS DE LONGA-METRAGEM

PROJETO: O RIO, de Wislan Esmeraldo e Mariana Nunes
RESUMO: Felipe é um médico cardiologista de 68 anos que mora em São Paulo. Quando sua mãe morre, Felipe viaja ate à cidade natal, no interior do Ceará, para enterrar seu corpo ao lado do marido, atendendo ao último desejo dela. Felipe havia deixado a cidade aos 13 anos e nunca mais havia retornado. Ao lado da mulher, Lúcia, Felipe percebe o quanto a cidade mudou, o quanto não reconhece mais aquele espaço e aquelas pessoas. No dia do enterro da mãe, Felipe reencontra Matheus, um amigo de infância e uma antiga paixão. Matheus é viúvo, dono de uma oficina de solda. Os dois homens nunca se esqueceram um do outro, e esse encontro reacende aquele amor da juventude. Felipe permanecerá na cidade até a missa de sétimo dia da mãe. É nesse pequeno intervalo de tempo que os dois amigos vivem esse amor que ficou adormecido por mais de 50 anos.

PROJETO: SAVE THE DATE, de Ticiana Augusto Lima e Breno Baptista
RESUMO: Liana namora com Otávio desde o ensino médio. É uma noiva jovem, magra, bonita e rica. À medida que seu casamento se aproxima e é arquitetado ao seu redor, ela passa a sentir crises cada vez mais recorrentes e intensas de falta de ar, aparentemente sem causa ou solução. Durante um assalto ela sofre uma tentativa de estrangulamento. A asfixia lhe dá prazer.

PROJETO: BR 116, de Rúbia Mércia Medeiros e Irene Bandeira
RESUMO: A cantora Celeste, 29 anos, após romper com o marido, também músico, decide percorrer de carro toda a BR 116, cujo ponto de partida fica na cidade de Fortaleza e termina na cidade de Jaguarão fronteira com Uruguai. Com o objetivo único de se libertar de um amor possessivo e egoísta, seu único desejo é se libertar do ex-marido e conseguir voar. Estando cada vez mais distante fisicamente dele, Celeste conhece pessoas e lugares inusitados. Durante a viagem ela saboreia momentos de angústia pela dor do rompimento até ser tocada pela sensação de liberdade e independência de estar só na estrada. Ao chegar ao final da Br 116, Celeste escuta falar de uma praia que se chama Fortaleza de Santa Teresa, curiosa em conhecer o lugar, ela decide cantar nessa praia.

PROJETO: ENIAC, de Gabriel Mota e George Frota
RESUMO: ENIAC é um antigo robô de reparos em uma fábrica completamente automatizada, comandado por NICHOLAS, dono do grande império e o único humano que habita o local. Eniac é responsável por manter a ordem dentro da empresa, até que acidentalmente um vírus de computador se instala em LISA, a máquina mais importante da fábrica, a única capaz de operar o sistema que mantém todos os outros robôs trabalhando em sintonia. Afetada pelo vírus, Lisa torna-se caótica e imprevisível e desperta a paixão em ENIAC, que tentava consertá-la. Agora ENIAC precisa decidir entre formatar Lisa e manter o perfeito funcionamento da fábrica ou manter o vírus em sua amada, indo contra os comandos de NICHOLAS.

ROJETO: CLANDESTINOS, de Alyson Lacerda e Tarcísio Rocha Filho
RESUMO: Brasil, 2022. Um movimento populista cristão passa a se organizar nos templos da  Igreja da Misericórdia e Redenção dos Escolhidos, através de sermões que denunciam a promiscuidade dos valores morais dos brasileiros como culpados pelo difícil período econômico e social vivido por todos, criam as condições para uma revolução religiosa sentida nas urnas. E o Brasil passa a ser um Estado não laico e dominado por uma igreja fundamentalista. Algumas liberdades civis são, então, abolidas e a população comemora leis que criminalizam, entre outras coisas, as relações homossexuais, o carnaval e as religiões afro. É nesse cenário que a religiosa Ana e seu filho Pedro se encontram com o misterioso Cid. Os três passam a viver uma intensa relação envolta por dramas e esperanças.

 

PRODUTORES INDEPENDENTES CONVIDADOS

ELIANE FERREIRA: Produziu o documentário Fabricando Tom Zé, de Décio Matos Jr., e o longa ficção O Guri, de Zeca Brito (2011). Além de documentários para TV e vários curtas e médias metragens. Está em fase de comercialização do documentário longa Vida, de Tatiana Villela, em pós-produção do longa Bala Sem Nome, de Felipe Cagno e em montagem do longa “Vermelho Russo” de Charly Braun, filmado em Moscou e São Petersburgo, na Rússia. Dedica-se agora ao desenvolvimento e à captação dos longas: A Luta do Século, de Sérgio Machado, Fazenda do Ribeirão do Qüeba e A Mulher do Homem que come Raio Laser, de Helvecio Marins Jr, Para Francisco e A Lista, de Dainara Toffoli, Nossos Ossos, de Snir Wein, Full Night, de Ricardo Elias e Sol, de Lô Polliti.

KÁTIA MACHADO: Produtora franco-brasileira, iniciou sua carreira na França em 1988, com animação. Em 1990, tornou-se Diretora de Distribuição e Co-produções Internacionais da Hamster Productions, do grupoamericano Capital Cities ABC. Neste cargo, foi responsável por várias co-produções internacionais com empresas como BBCTF1, France2, Canal+, AI-1,RAI-2, TVE, ZDF, RTL, ABC, HBO, USA Network, LIFETIME, entre outras. Em 2004, fundou a empresa Pássaro Films (RJ) e desde então produziu Maresia, de Marcos Guttmann, os premiados longas de ficção O Outro Lado da Rua e Meu Pé de Laranja Lima, de Marcos Bernstein, e o documentário Dia de Festa, de Toni Venturi. Co-produziu Parada Final 174, de Bruno Barreto, Agreste, de Paula Gaitan e associou-se à produção dos documentários Barracão, de Waldir Xavier e Amazônia Eterna, de Belisario Franca. Atualmente dedica-se ao desenvolvimento dos filmes Terapia da Vingança, de Bernstei, Lua Encarnada, de Waldir Xavier. Qualquer Custo, de Rita Gloria e Curvo e Dom Fradique, uma animação do autor português Zepe.

JOANA MARIANI: Joana Mariani começou sua carreira de produtora em 2007, com o Cheiro do Ralo, filme selecionado para o festival de Sundance e vencedor do Festival do Rio e da Mostra de São Paulo. No mesmo ano, o documentário Fabricando Tom Zé, outra produção da Primo Filmes, também venceu a mostra de São Paulo e o Festival do Rio. Depois disso, foram produzidos, entre outros, Elevado 3.5., vencedor do É Tudo verdade; Exterior, melhor direção no Festival de Paulínia. Mais duas ficções da Primo Filmes, em fase de lançamento: Trinta, de Paulo Machline, sobre a vida do carnavalesco Joãozinho Trinta, e A Estrada 47, de Vicente Ferraz, sobre os pracinhas brasileiros na Segunda Guerra Mundial. Além de produzir, também é diretora e Neste momento, edita seu primeiro longa documentário, Marias, sobre as festas das padroeiras na América Latina) e prepara o seu primeiro longa de ficção Todas as canções de amor.

GEÓRGIA COSTA ARAÚJO: dirige a produtora Coração da Selva há dez anos, responsável pela produção de todos seus projetos de filmes e séries de TV. Atua no desenvolvimento dos roteiros, contratação e administração de talentos, autores, diretores, técnicos e fornecedores para a produção das obras até a sua entrega para o mercado exibidor, sendo também responsável pela captação de recursos e pelos negócios relacionados aos produtos. Com formação em cinema pela USP, tem sido parceira dos mais diversos expoentes do mercado, entre eles: Roberto Moreira, Fernando Meirelles, Karim Aïnouz, Tata Amaral, Bruna Lombardi e das empresas Warner Bros., Fox, Globo, HBO e Downtown. Produziu 8 longas e diversos trabalhos para cinema e TV em formatos de ficção e documental, com destaque para Praia do Futuro, Antonia, Contra Todos, Onde Está a Felicidade e a série de TV, vencedora do Emmy, Pedro e Bianca. Atualmente, prepara o lançamento de dois projetos: A série para a TV Cultura O Extraordinário Condomínio e a comédia romântica musical Amor em Sampa.

JOÃO VIEIRA JR.: Como sócio-fundador da REC Produtores desde 1998, ocupa-se do desenvolvimento artístico de projetos e produção de filmes como: Cinema, Aspirinas e Urubus, de Marcelo Gomes, premiado na mostra Un Certain Regard do Festival de Cannes/2005 e indicado brasileiro ao Oscar de filme estrangeiro em 2007; KFZ-1348, de Gabriel Mascaro e Marcelo Pedroso – Prêmio Especial do Júri na Mostra Internacional de S. Paulo 2008; Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo, de Marcelo Gomes e Karim Ainoüz – Seleção Oficial do Festival de Veneza 2009; Era uma vez eu, Verônica, de Marcelo Gomes – Melhor Filme do Júri e do Público no Festival de Brasília 2012; Tatuagem, de Hilton Lacerda – Melhor Filme e Prêmio da Crírica no Festival de Gramado; Premio do Público e Prêmio da Crítica Internacional no Festival Int’l Rio 2013); O Homem das Multidões, de Marcelo Gomes e Cao Guimarães – Seleção Oficial do Festival de Berlim 2014). Assina a produção executiva dos filmes Baixio das Bestas, de Cláudio Assis – Premio Tiger de Melhor Filme no Festival de Roterdam 2007, O Céu de Suely, de Karim Ainoüz – Seleção Oficial do Festival de Veneza 2007 e Melhor Filme do Festival Int’l do Rio 2007 e do documentário O Rap do Pequeno Príncipe Contra as Almas Sebosas, de Paulo Caldas e Marcelo Luna. Além da atividade de produtor, ministra Oficinas e Workshops de Produção Executiva em Projetos Audiovisuais.

(Visited 46 times, 1 visits today)