II FestFilmes acontece de 08 a 15 de novembro no Ceará

Curta 'Uma Vida Feita de Outra', de Denise Marchi - MOSTRA ATLÂNTICA - CópiaCurta “Uma Vida Feita de Outras”, de Denise Marchi

Os municípios de Baturité, Redenção e Fortaleza, no Ceará, receberão a programação do II FestFilmes – Festival do Audiovisual Luso Afro Brasileiro de 08 a 15 de novembro. O evento busca promover o intercâmbio cultural, social e econômico dos Países de Língua Portuguesa (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste). Serão exibidos, no conjunto das mostras, 90 curtas-metragens, configurando-se como o maior festival de curta-metragem do Estado do Ceará. Os locais e horários programados serão divulgados no site oficial.

O Instituto Federal do Ceará (IFCE) de Baturité sediará a exibição das mostras competitivas e de algumas paralelas, que serão divididas, para efeito de exibição, com a Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), em Redenção, e em Fortaleza, em parceria com o poder público municipal e estadual.

A nova sede da Secretaria de Cultura de Baturité também abrigará, como parte das atividades do FestFilmes, a promoção dos livros do cineasta e professor do curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal do Ceará (UFC), Marcelo Ikeda (“Cinecasulofilia” e “Leis de Incentivo para o Audiovisual”), do escritor e pesquisador Ary Bezerra Leite (“Memória do Cinema: Os Ambulantes no Brasil” e “A Tela Prateada”) e do escritor e cineasta Francis Vale (“Cinema Cearense – Algumas Histórias”). Na ocasião, que contará com a presença dos autores, será feita a doação das obras para todas as bibliotecas públicas dos municípios que compõem o Maciço de Baturité, além de instituições como a Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira (UNILAB), sediada na cidade de Redenção, e IFCE de Baturité.

Outra atividade prevista para essa segunda edição do FestFilmes é o lançamento de sua própria revista eletrônica, que contará com a contribuição de profissionais do audiovisual realizado nos Países de Língua Portuguesa. Será anunciada também, em parceria com o IFCE de Baturité, a criação de um cineclube cujas atividades, a principio mensais, contarão com o acervo do festival – composto por mais 700 filmes de curta duração -, e a promoção de ações de formação técnica na área do audiovisual.

Mostras

Concorrem na Mostra Atlântica curtas-metragens realizados pela Comunidade dos Países de Língua Portuguesa. O melhor filme receberá o Troféu Dragão do Mar e o prêmio de R$ 2.500,00 (dois mil e quinhentos reais). Troféus também serão concedidos nas categorias de melhor direção, roteiro, ator, atriz, fotografia, montagem e trilha sonora original.

A Mostra Nascente contará com curtas-metragens de cineastas brasileiros estreantes. O melhor filme receberá o Troféu Dragão do Mar e o prêmio de R$ 1.500,00 (hum mil e quinhentos reais). Já a Mostra Iracema é exclusiva dos curtas-metragens cearenses. O melhor filme também receberá o Troféu Dragão do Mar e o prêmio de R$ 1.000,00 (hum mil reais).

O júri técnico será formado por profissionais do cinema e audiovisual. Para o prêmio de Júri Popular, o público escolherá a obra que considerar de maior relevância, auferindo-lhe o Troféu Luiz Severiano Ribeiro.

Fora de competição, o FestFilmes integra quatro panoramas paralelos: a Mostra CPLP, que exibirá curtas-metragens que reflitam sobre a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, isso segundo temática determinada em cada edição do festival; a Mostra dos Festivais, que esse ano fará um recorte da Mostra Cultura de Cinema Brasileiro, evento cearense que celebra anualmente a produção nacional; a Mostra Retrospecto, composta por filmes que se destacaram na edição anterior do FestFilmes; e, por fim, a Mostra Animada, que terá filmes com temática infantojuvenil.

FILMES EM COMPETIÇÃO

MOSTRA IRACEMA (curtas cearenses)

“A Rabeca” (CE, 2013, Ficção, 19′), de Irene Bandeira
“Aerodinâmicos” (CE, 2013, Documentário, 20′), de Carlos Normando
“Água do Sertão” (CE, 2013, Documentário, 20′), de Marcelo Justino
“Amaral” (CE, 2013, Ficção, 18′), de Germano de Sousa
“Balada do Guarda-Roupa” (CE, 2012, Animação, 6’06’’), de Diego Akel
“Damas da Liberdade” (CE, 2012, Documentário, 15′), de Célia Gurgel e Joe Pimentel
“Estados Alterados” (CE, 2013, Documentário, 20′), de Ives Albuquerque
“Manoel” (CE, 2013, Ficção, 15′), de José Roberto Bernardino da Silva
“Minimalismo Sonoro” (CE, 2013, Experimental, 11′), de Anio Tales Carin
“Tempo Branco” (CE, 2013, Experimental, 15′), de David Aguiar e Sabina Colares

MOSTRA NASCENTE (curtas de diretores brasileiros estreantes)

“Abúzu, Eco da Luta no Baixio” (PB, 2013, Documentário, 20′), de Cecília Bandeira
“Alô Criançada!” (RJ, 2014, Ficção, 15’50), de Raoni Seixas e Wagner Novais
“Borum-Krenac” (ES, 2013, Documentário, 10′), de Adriana Jacobsen
“Cabeça Papelão” (RJ, 2012, Animação, 18′), de Quiá Rodrigues
“Caixa D’água: Qui-lombo é esse?” (SE, 2012, Documentário, 15′), de Everlane Moraes
“Cancha – Antigamente Era Mais Moderno” (PB, 2013, Documentário, 18′), de Luciano Mariz
“Carga Viva” (MG, 2013, Documentário, 18′), de Débora de Oliveira
“Codinome Beija-Flor” (RS, 2012, Documentário, 20′), de Higor Rodrigues
“Dona Rosa” (SP, 2013, Documentário, 19’58”), de Mathias Mangin e Lucas Mandacaru
“O Amor em Pedaços” (PE, 2013, Documentário, 7′), de Felipe de Oliveira
“O Homem que Pintava Músicas” (MG, 2013, Animação, 15′), de Jackson Abacatu
“O Pacote” (SP, 2013, Ficção, 18’30”), de Rafael Aidar
“Guaramiranga – A Cidade do Pássaro Vermelho” (SP, 2013, Documentário, 11’38”), de Pedro Henud
“Nina” (SP, 2013, Ficção, 14’59”), de Rodrigo Zerbetto
“The Master’s Voice: Caveirão” (SP, 2013, Animação, 11′), de Guilherme Marcondes

MOSTRA ATLÂNTICA (curtas internacionais)

“Alegoria da Dor” (Brasil, BA, 2013, Documentário, 14′), de Matheus Vianna
“A Luz da Terra Antiga” (Portugal, 2012, Documentário, 15′), de Luis Oliveira Santos
“A Navalha do Avô” (Brasil, SP, 2013, Ficção, 20′), de Pedro Jorge
“A Nau Catarineta” (Portugal, 2012, Animação, 4’30”), de Artur Correia
“Atrás da História (ou no Coração do Filme)” (Brasil, GO, 2013, Ficção, 8′), de Jarleo Barbosa
“Lágrimas de um Palhaço” (Portugal, 2012, Animação, 6′), de Claudio Sá
“Manifesto Makumbacyber” (Brasil, SP, 2013, Documentário, 11′), de Beto Brant
“Memórias de Rio” (Brasil, SP, 2013, Documentário, 14′), de Roney Freitas
“O Azul de Beatriz” (Brasil, GO, 2013, Ficção, 14′), de Bruna Carolli
“O Cágado” (Portugal, 2012, Animação, 9’55”), de Luis da Matta Almeida e Pedro Lino
“O Milagre” (Portugal, 2012, Animação, 4′), de Francisco Lança
“O Refugiado” (Portugal, 2012, Animação, 12’12”), de Rui Cardoso
“Pena Fria” (Portugal, 2014, Ficção, 15′), de Luís Costa
“Prescrição” (Portugal, 2012, Ficção, 14′), de Marco Miranda
“Preto ou Branco!” (Brasil, SP, 2013, Ficção, 16′), de Alison Zago
“Psiu” (Brasil, 2014, Documentário, 20′), de Antonio Carrilho e Juliana Lima
“Memórias de Sal de Prata” (Brasil, RS, 2014, Documentário, 20′), de Boca Migotto
“Tejo, Mar” (Brasil, RJ, 2013, Ficção, 20′), de Bernard Lessa
“Tempos Idos” (Brasil, RJ, 2013, Ficção, 15′), de Maurício Rizzo
“Terra” (Portugal, 2013, Documentário, 12′), de Pedro Lino
“Tomou Café e Esperou” (Brasil, RS, 2013, Ficção, 12’33”), de Emiliano Cunha
“Uma Vida Feita de Outra” (Brasil, RS, 2012, Ficção, 14’51”), de Denise Marchi
“Vento Virado” (Brasil, MG, 2013, Ficção, 20′), de Leonardo Cata Preta
“X & Y” (Portugal, 2012, Ficção, 15′), de João Costa
“18 Milhões de Fatias (-T) + Deus” (Portugal, 2012, Animação, 9′), de Claudio Jordão

(Visited 13 times, 1 visits today)