Festival CineMúsica de Conservatória acontece em setembro no Rio

Nervos de Aço

A 9ª edição do Festival CineMúsica de Conservatória, único festival cinematográfico brasileiro dedicado ao universo do som, acontece de 4 a 7 de setembro no Rio de Janeiro. O evento fortalece as tradições musicais da cidade e celebra os cinemas de rua, muito bem representados pelo Cine Centímetro, réplica do saudoso Metro Tijuca, que foi uma das principais salas de exibição de filmes de 1940 a 1970, no Rio de Janeiro. No ritmo dos 50 anos da Jovem Guarda, a edição 2015 contará com inúmeras atrações, que envolvem cinema, música e gastronomia.

O festival selecionou o aguardado “Eu Sou Carlos Imperial”, de Renato Terra e Ricardo Calil, como filme de abertura. O documentário conta a história do ícone cultural brasileiro conhecido por revelar talentos como Roberto Carlos, Erasmo Carlos, Tim Maia e companhia. O longa será exibido na noite de sexta-feira, 4 de setembro, na Praça da Matriz.

Para o sábado, 5, o CineMúsica reservou uma homenagem especial ao cantor e ator Jerry Adriani, conhecido por canções clássicas como “Quem Não Quer”, “És Meu Amor” e “Doce Doce Amor”. Além de subir ao palco da Praça da Matriz para receber a homenagem, Jerry irá realizar um show que promete emocionar a população de Conservatória e região.

A programação cinematográfica do festival traz ainda produções como “Mulheres no Poder”, de Gustavo Acioli; “Mais do que Eu Possa me Reconhecer”, de Allan Ribeiro; “Nervos de Aço” (foto), de Maurice Capovilla; “Dois Casamentos”, de Luiz Rosemberg Filho; “Love Film Festival”, de Manuela Dias, além de clássicos da Jovem Guarda como a trilogia Roberto Carlos, de Roberto Faria.

O Programa Formacine incentiva e leva as crianças da rede de ensino da região aos cinemas. Em 2015, irá mais uma vez exibir uma série de produções voltadas para os públicos infantil, juvenil e deficientes visuais, com uma sessão de audiodescrição. As sessões acontecerão no Cine em Cena Brasil, sala de cinema itinerante patrocinada pelo Grupo CCR.

O Encontro Nacional de Profissionais de Som do Cinema Brasileiro chega a sua terceira edição, sendo um dos principais diferenciais do festival, que se tornou um novo espaço para a ​​reflex​ão e debate de questões referentes ao mercado de realização audiovisual, ao ensino e a pesquisa do som no cinema do Brasil. O encontro tem como objetivo principal contribuir para uma maior integração entre os profissionais do som. Este ano, III​ ​ENPSCB irá homenagear o profissional do som Victor Raposeiro, que trabalhou em produções marcantes do cinema nacional, como “Dona Flor e Seus Dois Maridos”, “Bye Bye Brasil” e “Os saltimbancos Trapalhões”.

Outro destaque do encontro será a presença do convidado internacional Carlos Klachquin, que apresentará a palestra “Mixagem orientada a objetos e a implementação do sistema Atmos”. No domingo, o encontro contará com outra homenagem, ao pesquisador Hernani Heffner, curador das oito primeiras edições do CineMúsica e pessoa-chave no desenvolvimento e nascimento do ENPSCB.

Uma das novidades da edição 2015 é a realização do prêmio Olhar Universitário, com seis curtas universitários sendo exibidos em caráter competitivo.

O CineMúsica conta com uma premiação anual que celebra os filmes que se destacaram na técnica sonora no ano anterior ao evento. Os vencedores da edição 2015 são:

Melhor Som: “O Rio nos Pertence”, para Pedro Diogenes, Bernardo Uzeda, Ricardo Cutz e Tomás Alem
Melhor Captação de Som: “Superpai”, para Lício Marcos de Oliveira, Tiago Mendes e Diego da Costa
Melhor Mixagem: “Ventos de Agosto”, para Maurício D’Orey
Melhor Edição de Som: “De Menor”, para Kira Pereira, Pedro Noizyman, Guilherme Pedrosa e Thiago Sachs
Melhor Música Original: “Amor, Plástico e Barulho”, para DJ Dolores e Yuri Queiroga
Melhores Ruídos de Sala: “Apneia”, para Sergio Fouad, Vitor Motter e Pedro Lima
Melhor Direção e Gravação de Dublagem: “A Balada do Provisório”, para Francisco Slade
Melhor Canção: “Depois da Chuva”, para Mateus Dantas e Nancy Viégas
Melhor Restauração de Som: “Antes, o Verão”
Troféu Curta-Light – Melhor Som: “Sem Coração”, para Nicolas Hallet, Simone Dourado, Carlos Montenegro e Gera Vieira
Troféu Curta-Light – Melhor Desenho de Som: “Nada é”, para Fred Benevides
Troféu Curta-Light – Melhor Mixagem: “Estátua!”, para Daniel Turini e Fernando Henna
Troféu Curta-Light – Melhor Captação de Som: “O Bom Comportamento”, para Vampiro