Boi Neon, de Gabriel Mascaro, vence o Festival do Rio 2015

Boi Neon Festival do Rio

A 17ª edição do Festival do Rio concedeu os prêmios de melhor longa de ficção, roteiro, direção de fotografia e atriz coadjuvante ao longa-metragem pernambucano “Boi Neon” (foto), de Gabriel Mascaro. O prêmio de melhor documentário ficou com “Olmo e a Gaivota”, de Petra Costa e Lea Glob.

Na mostra Novos Rumos, o grande vencedor foi “Beira-mar”, dea Filipe Matzembacher e Marcio Reolon, que já haviam ganhado o Prêmio Especial do Júri Felix na noite de domingo. Entre os curtas, o escolhido na competição oficial foi “Pele de Pássaro”, de Clara Peltier; e na Novos Rumos foi “Outubro Acabou”, de Karen Akerman e Miguel Seabra Lopes.

Veja a lista completa dos premiados:

Première Brasil

JÚRI OFICIAL presidido por Walter Carvalho e composto por Christian Sida-Valenzuela, Alan Poul, Pape Boye e Vivian Ostrovsky.

MELHOR LONGA-METRAGEM DE FICÇÃO –  BOI NEON, de Gabriel Mascaro
MELHOR LONGA-METRAGEM DE DOC –  OLMO E A GAIVOTA, de Petra Costa
MELHOR CURTA-METRAGEM –  PELE DE PÁSSARO, de Clara Peltier
MELHOR DIRETOR DE FICÇÃO –  Ives Rosenfeld (ASPIRANTES) + Anita Rocha da Silveira (MATE-ME POR FAVOR)
MELHOR DIRETOR DE DOC –  Maria Augusta Ramos (FUTURO JUNHO)
MELHOR ATRIZ – Valentina Herszage (MATE-ME POR FAVOR)
MELHOR ATOR –  Ariclenes Barroso (ASPIRANTES)
MELHOR ATRIZ COADJUVANTE – Julia Bernat (ASPIRANTES) e Alyne Santana (BOI NEON)
MELHOR ATOR COADJUVANTE – Caio Horowicz (CALIFÓRNIA)
MELHOR FOTOGRAFIA – Diego Garcia (BOI NEON)
MELHOR MONTAGEM –  Sérgio Mekler (CAMPO GRANDE)
MELHOR ROTEIRO –  Gabriel Mascaro  (BOI NEON)
PRÊMIO ESPECIAL DO JÚRI – QUASE MEMÓRIA, de Ruy Guerra

NOVOS RUMOS

Júri presidido por Rosane Svartman e composto Diana Almeida, Karen Sztajnberg e Natália Lage

MELHOR LONGA –  BEIRA-MAR, de Filipe Matzembacher, Marcio Reolon
MELHOR CURTA – OUTUBRO ACABOU, de Karen Akerman, Miguel Seabra Lopes
PRÊMIO ESPECIAL DO JÚRI –  JONAS, de Lô Politi

PRÊMIO FIPRESCI 

Júri composto por Christian Petterman, Flávia Guerra e Ricardo Cota

MELHOR LONGA LATINO-AMERICANO – TE PROMETO ANARQUIA, de Julio Hernández Cordón

JURI VOTO POPULAR

MELHOR LONGA FICÇÃO: Nise – O Coração da Loucura, de Roberto Berliner
MELHOR LONGA DOCUMENTÁRIO:  Betinho – A Esperança Equilibrista, de Victor Lopes
MELHOR CURTA:  Até a China, de Marão